(11) 3205-2041

Para as empresas que desejam sobreviver em mercados cada vez mais competitivos, em que as soluções tecnológicas estão mudando em ritmo mais rápido do que muitas companhias podem acompanhar, é difícil aproveitar os benefícios da automação de processos manuais, porque, no momento em que uma nova solução de software também foi implantada, a tecnologia já avançou.

Sob esse ritmo frenético de inovação, muitos empresários estão ficando paralisados ​​pelos receios de fazer escolhas erradas para o investimento.

A verdade é que ficar por dentro da inovação é vital para competir com os primeiros concorrentes em seu nicho, que estão chegando ao público com soluções automatizadas.

Impacto da automação de processos nas organizações

A primeira vantagem percebida de imediato é o tempo de execução das atividades. A automatização dos processos libera também o tempo da equipe. Além dos benefícios óbvios das eficiências alcançadas, o pessoal liberado das tarefas cotidianas pode se concentrar em trabalhos mais criativos e habilidosos.

A automação das rotinas diárias significa que o foco pode ser transferido para um planejamento estratégico para o futuro e até para inovações adicionais por parte dos funcionários seniores ou operários, que podem estar mais inspirados para melhorar sua empresa.

A automação ainda oferece eficiências de custo inesperadas, como a mitigação de riscos. A tecnologia minimiza o erro humano em uma ampla gama de atividades.

Por exemplo, os dados de gravação se tornam mais precisos, os erros de folha de pagamento são minimizados, o gerenciamento de estoque pode tornar-se mais fácil, o atendimento ao cliente pode ser melhorado e assim por diante.

Minimizar os riscos associados a erros que são inevitáveis ​​em processos ineficientes, comprometer o pessoal a aceitar mudanças e aprender novos processos demonstram a resiliência de sua organização e criam uma confiança em seus stakeholders.

Pensando nisso, separamos 4 soluções de automação que podem ajudar seus processos de TI, tornando-os automatizados e eficientes. Continue a leitura!

1. Business Process Management (BPM)

O BPM é a prática de alinhar metas e processos à medida que as empresas evoluem e ajuda as organizações a definirem as etapas necessárias para realizar uma tarefa empresarial, mapeando-as para os processos existentes e, em seguida, simplificando-os ou melhorando-os para que as fases sejam realizadas de forma mais eficiente.

Os processos de negócios são a chave para a forma como quase todas as empresas atuam, já que são resultado do planejamento para alcançar todos os tipos de funções empresariais e permitir que diferentes partes da organização trabalhem juntas e interajam com fornecedores e clientes.

Sendo assim, não é difícil ver que uma empresa só poderá ser flexível, eficiente e ágil quando seus processos de negócios interagirem uns com os outros.

É importante lembrar que as empresas são dinâmicas, portanto, seus objetivos e processos estão em constante evolução. Por essa razão, o gerenciamento de processos de negócios deve ser considerado uma prática contínua em vez de um evento único.

2. Business Process Reengineering (BPR)

Em português, reengenharia de processos de negócios, a BPR é a análise e o redesenho de fluxos de trabalho dentro e entre as empresas, a fim de otimizar os processos de ponta a ponta e automatizar tarefas que não sejam de valor agregado.

Ela envolve uma análise criteriosa dos fluxos de trabalho da empresa, encontrando processos que são ineficientes e descobrindo maneiras de eliminá-los ou alterá-los.

A reengenharia de processos de negócios tornou-se popular no mundo corporativo na década de 90, inspirada em um artigo chamado “Reengineering Work: Do not Automate, Obliterate”, publicado na revista Harvard Business, por Michael Hammer.

Seu entendimento era que muitas empresas estavam usando novas tecnologias para automatizar processos fundamentalmente ineficazes, ao contrário de criar algo diferente e construído em novas tecnologias.

Nas décadas passadas, a BPR continuou a ser usada pelas empresas como uma alternativa ao gerenciamento de processos de negócios (BPN), a qual o substituiu em grande parte pela popularidade.

3. Business Process Model and Notation (BPMN)

O BPMN é um método de ilustrar processos de negócios na forma de um diagrama semelhante a um fluxograma. O BPMN foi originalmente concebido e desenvolvido pela Business Process Management Initiative (BPMI). Atualmente, ele é mantido pelo Object Management Group (OMG).

O BPMN fornece uma maneira padrão e fácil de ler para definir e analisar processos empresariais, por meio de um padrão que é facilmente compreensível pelo pessoal de gerenciamento, pelos analistas e pelos desenvolvedores.

A intenção original da BPMN era ajudar a superar lacunas de comunicação que, muitas vezes, existem entre os vários departamentos dentro de uma organização ou empresa.

A BPMN também pode ajudar a garantir que os documentos XML (Extensible Markup Language), projetados para a execução de diversos processos comerciais, possam ser visualizados com uma nomenclatura comum.

4. Robotic Process Automation (RPA)

Cada vez mais, a automação de processos robotizados (RPA) é vista como a forma mais atual e rápida de reduzir custos e melhorar o desempenho, com o software automatizando tarefas realizadas por humanos.

Essa tecnologia geralmente acrescenta o maior valor para clientes que dispõem de processos manuais de alto volume, repetitivos e baseados em regras, envolvendo dados estruturados, como o processamento de transações.

O RPA permite que você transite em qualquer aplicativo de TI ou site, normalmente da mesma forma que um ser humano, para automatizar o trabalho complexo e baseado em regras.

Em outras palavras, o software permite aos desenvolvedores a adaptação das automações complexas aos processos de uma empresa.

Quando um robô RPA está no trabalho, ele executa tarefas exatamente como um ser humano: logar, operar aplicativos, inserir dados, realizar cálculos complexos e sair.

O RPA pode ajudar a transformar digitalmente seu negócio, fornecendo:

  • serviços de qualidade superior: melhor precisão e melhor atendimento ao cliente;

  • maior conformidade: os processos de negócios podem ser configurados para operar de acordo com os regulamentos e padrões necessários;

  • velocidade aumentada: os processos podem ser concluídos a velocidades sem precedentes;

  • aumento da agilidade: redução de custos indiretos e recursos empresariais mais flexíveis;

  • custos reduzidos: com margem de erro zero, robôs não faltam, não tem descanso e nem férias;

  • escala de produção: robôs podem operar novos turnos, como 24×7 e com um custo que não é marginal;

  • experiência do empregado: aumento da produtividade da equipe e desgaste reduzido.

Todos esses fatores podem separar sua empresa de concorrentes e são altamente valiosos em termos de moldar a estratégia de operações digitais da sua empresa.

Gostou do nosso conteúdo? Para saber mais sobre automação de processos, entre em contato conosco!

Pin It on Pinterest