(11) 3205-2041

É comum que as empresas se interessem cada vez mais por sistemas integrados por APIs – sigla em inglês para Application Programming Interface, ou Interface de Programação de Aplicativos. Eles facilitam a comunicação de diversas aplicações e tornam a navegação muito mais prática, ágil e segura.

Acontece que, dentro desse amplo universo, muitos empreendedores tendem a ficar em cima do muro quando precisam optar pela melhor solução para o seu negócio. Uma das principais dúvidas é: quais são as diferenças primordiais entre API Gateway e API Manager?

Embora muitas vezes tidos erroneamente como equivalentes, esses programas não têm a mesma função. Somente ao conhecer as devidas funcionalidades de cada um deles é que será possível escolher a opção mais adequada para cada situação.

Para facilitar sua escolha e contribuir para seu conhecimento do assunto, este post traz as principais diferenças entre os APIs e apresenta suas aplicações. Acompanhe!

O que é o API Gateway?

O API Gateway é um software que promove uma camada de segurança, pois consegue filtrar os tipos de chamada em sua API. Na prática, ele atua como um portão de entrada capaz de direcionar os dados ao local mais adequado.

O acesso ao gateway pode ser feito por meio de diferentes dispositivos, já que é preciso unificar as chamadas para poder entregar ao usuário um conteúdo que pode ser acessado por diferentes tipos de sistemas ou navegadores de internet.

Dessa forma, o API Gateway pode ter até cinco diferentes funções, tais como:

  • filtro: o software filtra o tráfego das chamadas nos mais diferentes meios, como mobile, web, sistemas cloud, entre outros;
  • porta de entrada única: o gateway é a única porta de entrada para as APIs que a organização deseja expor;
  • gerenciamento de APIs: o gateway pode ser um componente muito importante para o gerenciamento das diversas APIs necessárias, utilizando meios como o API Suite, por exemplo;
  • roteador: o sistema também funciona como um roteador de tráfego das APIs e também de Rate Limit;
  • mecanismo de segurança: o software garante muito mais segurança, por meio da autenticação e do log de acesso e, até mesmo, da limitação de acesso dos usuários.

Quais são as principais aplicações do API Gateway?

Com essa variedade de funções, o API Gateway pode facilitar consideravelmente o controle das empresas, uma vez que o acesso aos seus serviços web é limitado a um ponto apenas.

A própria complexidade de sua API é reduzida, pois todo esse trabalho é realizado pelo API Gateway. Isso se traduz, inclusive, em redução de custos para o seu negócio, já que manter suas APIs no ar se torna uma tarefa mais simplificada. Todas essas aplicações fazem do API Gateway uma excelente opção.

Essas aplicações básicas não são as únicas vantagens que uma empresa tem ao investir em um API Gateway. Em seguida, conheça outros benefícios.

Quais são os principais benefícios do API Gateway?

O API Gateway apresenta uma série de benefícios para a área de TI de sua empresa.

Separação de camada de aplicação

Os profissionais de TI garantem que uma das principais vantagens do API Gateway é separar as camadas APIs e os microsserviços que são implementados. A ideia dessa separação é permitir que as pessoas utilizem apenas aquilo que é efetivamente útil para elas em uma determinada aplicação.

Melhoria nos desenvolvimentos

Ainda sobre a separação das camadas de aplicação, essa prática também promove uma grande melhoria nos desenvolvimentos, contribuindo para que os objetivos sejam cumpridos e supram a necessidade dos usuários.

Desse modo, por exemplo, um serviço pouco utilizado no dia a dia de uma empresa – apresentando poucos chamados – exige menos recursos do que um serviço com uso mais corriqueiro. Essa otimização faz com que as máquinas desenvolvam mais sua performance, otimizando as rotinas e processos da empresa.

Controle das zonas de ataques via buffer

Vários serviços controlados pelo API Gateway possuem uma buffer zone, o que protege os sistemas de ataques, de modo que dificilmente eles serão afetados.

Essa garantia de segurança oferece muito mais facilidade e tranquilidade ao usuário, pois ele terá a certeza de que todos os procedimentos que está realizando estão protegidos de eventuais investidas.

Simplicidade e transparência para o consumidor final

O consumidor final das aplicações poderá usufruir de um front-end único, o que garante muito mais simplicidade e transparência na execução das operações.

Aperfeiçoamento do User Experience

User Experience é uma técnica que visa adaptar programas de acordo com a necessidade de cada usuário. Com o API Gateway, é possível que o desenvolvedor documente aquilo que é necessário para ele, otimizando muito o seu tempo.

Isso tudo deixa a documentação muito mais específica, facilitando o trabalho, principalmente, pela utilização de SDKs ser única para cada API.

Como você pode perceber, o API Gateway é uma ótima opção e possibilita suprir muitas necessidades da sua empresa. Mas e o API Manager? Será que é uma opção melhor para o seu negócio? Continue acompanhando e descubra.

O que é o API Manager?

O API Manager (ou Management) é uma solução que abrange mais funcionalidades além dos filtros de segurança e direcionamentos propostos pelo API Gateway. É como se estivéssemos lidando com um sistema de gestão.

Trata-se, portanto, de um processo de criação e publicação de APIs da web, reforçando as suas políticas de uso, controlando acessos, coletando e analisando estatísticas de uso e verificando os relatórios sobre o desenvolvimento.

Quais são os principais componentes do API Manager?

Embora os componentes variem de acordo com as funcionalidades de cada API Manager, geralmente os principais são:

  • gateway: servidor que atua como front-end da API;
  • ferramentas de publicação: coleção de itens que os provedores de API usam para definir especificações, gerar documentações, gerenciar políticas de acesso, testar e depurar execuções etc.;
  • portal do desenvolvedor: é uma comunidade em que o provedor API pode encapsular informações, incluindo tutoriais, documentos, códigos, kits de desenvolvimento, entre outros itens;
  • relatórios e análises: são funcionalidades que servem para monitorar o uso e as cargas das APIs; com base nos relatórios, é possível verificar os logs de transações para detectar as tendências de uso e otimizar os trabalhos;
  • monetização: essa funcionalidade permite que sejam realizadas cobranças pelo acesso a APIs comerciais; assim, é possível utilizar o sistema para configurar regras de preços e emitir faturas, entre outras atividades do setor financeiro ou contábil.

Quais são as principais aplicações do API Manager?

Entre as principais funcionalidades do API Manager, podemos citar os recursos para gerenciar suas APIs, além de oferecer uma série de dados para serem visualizados e analisados, tais como:

  • estatísticas de uso: você pode acompanhar a quantidade de tempo decorrido e o consumo de dados durante o uso da API;
  • gerenciamento de ciclo de vida da sua API: é possível observar todo o desdobramento de uma API, desde quando ela é desenvolvida até o momento em que não se faz mais necessário seu uso;
  • controle de versão: para que você possa contar sempre com opções mais atualizadas, o API Manager mostra o controle da versão utilizada;
  • business data: acompanhe todos os dados do seu negócio, possibilitando a análise de recursos aplicados, que podem ser aperfeiçoados, caso seja necessário.

Assim, vale a pena analisar e compreender mais profundamente como cada recurso pode oferecer uma solução mais apropriada e que esteja de acordo com a realidade da sua empresa.

API Gateway e API Manager: principais diferenças

De maneira geral, podemos elencar algumas diferenças fundamentais entre a API Gateway e a API Manager.

  • API Gateway: desenvolve uma espécie de barreira, criando um filtro para os acesso às APIS; resumidamente, atua como uma ferramenta de filtro e redireciona o tráfego de terceiros;
  • API Manager: é um sistema muito mais completo e engloba tudo o que o API Gateway faz e muitas outras funções; nas aplicações adicionais, destaca-se a implementação dos controles das versões, as possibilidades de monetização, o desenvolvimento de dashboards para acessos, entre outros recursos.

Logo, o API Manager se apresenta como a opção mais completa, mas nem sempre essa acaba sendo a melhor escolha. Afinal, se sua empresa não necessita de todas as funcionalidades que ele oferece, pode ser mais indicado contar com um API Gateway.

Conclusão

Como vimos, o API Gateway é uma verdadeira barreira – uma sentinela – de acesso às suas APIs, enquanto o API Manager possui a função complementar de gerenciamento e análise de dados.

Acontece que qualquer API Manager já possui embutido em seu sistema um API Gateway. Afinal, a segurança dos dados é algo imprescindível em qualquer tipo de solução e não faria sentido que o API Manager não dispusesse desse tipo de função.

Dessa forma, convém entender as particularidades de cada um para descobrir se o que você está em busca é de um filtro de direcionamento e uma camada de segurança ou se o foco é a gestão e análise de dados de suas APIs.

Portanto, para optar entre um API Gateway ou um API Manager, você precisa estar atento às estratégias de sua empresa e entender qual é sua real necessidade. Ambos os casos, no entanto, podem ser úteis em uma estratégia digital.

Quer saber mais sobre como revolucionar a estratégia digital da sua empresa? Baixe nosso e-book e descubra como digitalizar seu negócio através da nossa plataforma de
integração de sistemas e API Manager!

Pin It on Pinterest