(11) 3205-2041

O Big Data tem sido utilizado para aperfeiçoamento de estratégias e para ajudar empreendedores na tomada de decisões. Ele também pode ser usado para o acompanhamento dos resultados dessas estratégias.

Se você ainda não sabe bem o que é o Big Data, leia este conteúdo até o final e descubra como ele pode ser um excelente suporte para o crescimento na sua empresa!

1. O que é Big Data

Esse conceito é relativamente novo, sendo amplamente utilizado após 2005 e, como a tradução do termos nos sugere, Big Data significa “grandes dados”. Podemos entender o conceito, também, como um “grande banco de dados” ou “muitos dados”. E, como já pode ter imaginado, dispor de um banco desses significa coletar as informações de tudo que é público na internet e utilizar a favor das suas decisões de negócio.

É como se você pudesse assistir e ler todos os conteúdos, estruturados ou não, na internet. Desde postagens nas redes sociais, vídeos no YouTube ou listas até informações demográficas sobre os usuários, entre outros.

A partir da junção de todo o conteúdo, você tem o poder de analisar o perfil de todos os usuários dos quais suas informações foram coletadas, reparti-los demograficamente, socioeconomicamente e identificar possíveis propensões a adquirirem ou não o seu produto.

É possível também descobrir o que pode ser feito de diferente para que seu produto passe a se enquadrar no perfil desses clientes. E, claro, ser o mais atraente possível para eles!

Um exemplo

Uma loja de roupas infantis identificou que no setor norte da cidade temos mais famílias com uma criança ou mais do que no setor sul. Logo, poderá direcionar melhor as estratégias de publicidade para essa região. Esse exemplo é praticamente uma metáfora, se a gente for comparar com as dimensões analisadas através dos conteúdos coletados pelo Big Data.

Pode ser usado, por exemplo, em eleições municipais, estaduais e até nacionais. É administrado por empresas que atendem em nível nacional, pelo governo e, claro, pode ser trabalhado na sua empresa.

Ou seja, em um contexto geral, a utilização do Big Data permite que você melhore o atendimento ao cliente, identifique as tendências de mercado, aumente as vendas, ofereça mais satisfação, preveja problemas, mensure riscos e reduza gastos. Tudo isso pode ser feito a partir da análise dos dados coletados e disponibilizados.

2. Como é feita a estruturação de dados com o Big Data?

O Big Data comporta qualquer dado que seja público e esteja disponível na internet. Entre esses, temos os estruturados e os não estruturados. Qualquer tipo de informação pode entrar nessa classificação. Atualmente, os bancos interpretam os dois tipos. Conheça agora como cada um pode ser classificado:

Dados não estruturados

Os bancos foram se adaptando para a leitura de novos formatos que passaram a ser disponibilizados na rede. Chamamos esses de dados não estruturados, pois não são lidos com a mesma facilidade.

Em exemplo, seriam os que não estão organizados ou que não podem ser interpretados facilmente pelos bancos tradicionais. Podemos citar os tuítes, textos de blog e as imagens, como tipos de dados não estruturados.

Dados estruturados

Já são os que o banco pode reconhecer e interpretar facilmente. São informações que resultam de interações de pessoas com máquinas. Podemos exemplificar como as aplicações na web e mídias sociais ou os logs. Também podemos chamar de dados estruturados os formulários preenchidos na rede.

Outros exemplos como o preenchimento de questionários, a manutenção de plataformas online de atividades ou comunidades de discussão, etc.

Como analisar o Big Data?

A análise dos Big Datas tem sido cada vez mais essencial em variados processos empresariais. Os dados precisam ser avaliados para que se tornem informações úteis para seu negócio. Para avaliar, existem 4 tipos de análises, sendo que cada uma tem seu objetivo e precisa de ser aplicada no momento certo.

Sendo assim, conheça agora esses 4 tipos de análise e quando deverá aplicá-las em cada momento, para que o Big Data seja, de fato, útil para o seu negócio.

Preditiva

Esse tipo de análise é realizada com o objetivo de identificar futuras possibilidades ou avaliar o reflexo de possíveis decisões a tomar. Ou seja, com a análise preditiva, é possível identificar se, daqui a um tempo, o produto terá a mesma relevância para o mercado em que atua, se será necessário expandir a área ou rever os investimentos naquele mercado.

A análise preditiva expõe as tendências por meio da mineração, estatísticas e dados históricos. Assim, evita-se a tomada de decisões baseadas na intuição. Fazendo com que as escolhas sejam ainda mais eficientes.

Prescritiva

Essa análise também te permite estar de olho no futuro. No entanto, um pouco diferente da preditiva, essa forma de analisar os dados permite avaliar as consequências de possíveis ações.

Desse modo, fica mais fácil decidir qual será o caminho mais certo a seguir e, entre as opções, qual seria a mais efetiva para o futuro e para a sua marca. Em conjunto à preditiva, dá para se ter uma noção de que ações estarão disponíveis para um futuro e qual delas será a mais benéfica para o seu negócio.

Descritiva

Consiste em analisar os dados do Big Data. Consolidar as informações e classificar aquelas categorias que te interessam. Tudo isso sem, necessariamente, relacioná-los a circunstâncias passadas ou tendências futuras.

Significa você avaliar o insumo e chegar ao resultado acerca daquilo que procura avaliar. Agir conforme o seu objetivo versus os dados encontrados. Essa análise é comumente utilizada durante análises de crédito, por exemplo.

Nesse tipo de situação a análise é feita no Big Data da instituição financeira, que identifica os indícios que mostram que o indivíduo está apto ou não a arcar com aquele custo. Se trata de uma análise em tempo real, para uma solução imediata de uma consulta.

Diagnóstica

É o melhor caminho para avaliar um resultado de uma ação após a implantação. A análise diagnóstica é o entendimento dos dados coletados no Big Data. Em vez de apenas compilá-los e demonstrar um status atual, a diagnóstica compreende todas as possibilidades.

Ela, praticamente, descreve o indivíduo/nicho/mercado analisado de forma completa, considerando suas ações e o caminho que deva seguir a partir dos dados coletados pelo Big Data. É a melhor forma em tempo real de analisar o status de suas ações e identificar possíveis oportunidades de melhoria e mudanças de estratégias.

Como vimos, cada uma das análises deve ser realizadas em um momento decisivo. Desde de traçar caminhos até enxergar o resultado de suas ações. Mas, para executar essas análises da melhor maneira possível, você precisa conhecer os 5 Vs do Big Data.

3. Você conhece os 5 Vs do Big Data?

Bem, como já dissemos, o Big data compreende a coleta de dados públicos estruturados ou não estruturados da rede. A partir do momento que sua empresa possui o Big Data, é possível analisar de forma preventiva os próximos passos a tomar ou, de forma diagnóstica, os resultados de uma possível ação já tomada.

No entanto, quais são as principais características do Big Data. Esses são os 5 Vs:

1. Volume

Como já dissemos, o Big Data acumula informações públicas da internet (dados). Logo, ele é caracterizado pelo volume das informações. Todas as interações, comunicações, informações e manifestações ditas na rede são unidas nesse grande banco para a sua análise.

Por isso, o volume é tão grande. O Big Data é uma imensa quantidade de dados que são gerados a cada segundo. Pense que são todos os logins no Facebook, cada interação nele ou em qualquer rede social, vídeos postados no YouTube, blogs, mensagens, entre outros.

2. Velocidade

Pense na quantidade de dados que são gerados por segundo na rede. Desde aprovação de compras com cartão de crédito até as mensagens nas redes sociais que vão viralizando. O Big Data foi feito para analisar essas informações em tempo real, sem ter que armazená-las.

Sendo assim, podemos dizer que essa é uma das características mais importantes do Big Data, que permite que ele tenha a capacidade de acompanhar toda a produção de conteúdo público e disponibilizar para avaliação. Logo, muito volume em muita velocidade!

3. Variedade

Como vimos, atualmente o Big Data analisa todos os tipos de conteúdos. Uma variedade imensa de informações podem ser classificadas e ordenadas para a análise. Então, não podemos deixar de classificar esse imenso banco de dados como um local de variedade, tipos e forma de organização (em tabelas ou não).

4. Veracidade

Preceito básico de qualquer informação. Apesar de o Big Data não ter condições de identificar postagens e notícias falsas na internet, a quantidade de dados reunidos faz com que seja possível identificar, estatisticamente, as publicações falsas.

Como o conteúdo desses bancos são utilizados para tomada de decisões tão importantes, é necessária a confiança na mineração desses dados.

5. Valor

Não adianta, definitivamente, termos um grande volume de informações, na melhor velocidade, variedade e com a veracidade que precisamos, sem agregarmos valor a isso. As interpretações e análises a serem feita precisam ser cautelosas, para que seja possível chegar ao valor que se espera. E, claro, para que o investimento realizado agregue mais valor do que gastos!

4. Quais são os principais de tipos de Big Data?

Depois de conhecer os tipos de dados, como podem ser feitas as análises e quais são os 5 Vs do Big Data, precisa conhecer os seus principais tipos. São eles:

Social Data

São dados de pessoas. São tipo de informações que decifram pessoas. Por meio desses, é possível saber o que as pessoas buscam na internet, o que elas querem nas redes sociais, enfim. Dá para traçar perfis com exatidão do tipo de pessoas a serem alcançadas.

O Social Data expõe as possibilidades e nichos por meio das manifestações voluntárias das pessoas. Pelo que elas dizem, procuram, como elas interagem e o que mais gostam ou não de ver nas redes sociais e internet em geral.

Enterprise Data

São os dados gerados pelas empresas. Contém informações valiosas, como dados dos departamentos financeiro, de recursos humanos, das operações, entre outros. São importantes para a medir produtividade e identificar oportunidades, apesar de serem ignorados na maioria das vezes pelos empreendedores.

Personal Data

Também conhecido como Data of Things, são dados gerados por smartphones, tablets, geladeiras, carros, TVs ou outros dispositivos conectados à internet. Por eles, é possível coletar informações tão importantes quanto as que já são coletadas pelos apps de GPS. Por meio deles, é possível disponibilizar informações relevantes sobre o trânsito aos motoristas, por exemplo.

Se sua empresa utilizar esses três tipos de Big Data para assimilarem dados, estará diante de um banco eficiente, completo e riquíssimo. Capaz de transformar a tomada de decisões da sua empresa.

Importante ressaltar que tão importante quanto ter os dados, é organizar, tratar e analisá-los, para que não seja apenas uma pasta massiva de informações se perdendo no limbo virtual. Entenda o valor que um Big Data tem e pode agregar aos seus resultados!

5. Por que preciso utilizar o Big Data em minha empresa?

A utilização Big Data só tem a contribuir positivamente em sua empresa. É muito comum a dúvida entre adquirir ou não. Entre contratar ou não pessoas aptas a tocar um projeto de tanta significância. Mas, apesar de ser vistos dessa forma, é muito comum acreditar que é um supérfluo ou que não é para “empresas pequenas”.

Contudo, se engana quem pensa dessa maneira. Ter uma ferramenta capaz de contribuir significativamente para a tomada de decisões e, ao mesmo tempo, permitir que sejam identificadas oportunidades, gargalos e prever situações de crise, deveria ser o sonho de qualquer empreendedor.

Em resumo, podemos dizer que o Big Data vai contribuir grandiosamente com os setores de:

Marketing

Esse departamento sempre está em busca de novas oportunidades para a empresa no mercado. Seja para um novo nicho ou na conquista de mais clientes. O Big Data corta o caminho, contribuindo para que esse setor tenha ainda mais eficiência no fechamento e negócios lucrativos para a empresa.

O Marketing vai poder analisar de forma diagnóstica, preditiva e descritiva, para que se chegue na melhor estratégia de conquistas de novos clientes.

Vendas

O Big Data permite você analisar dados sobre os seus clientes e suas preferências. Conhecendo melhor o seu cliente e as pessoas que deseja alcançar, fica ainda mais fácil adaptar seu produto para as suas preferências e convencê-los sobre todos os seus atributos. Além desse benefício imediato, você consegue se preparar para as reviravoltas do mercado com a antecedência necessária.

Vender mais é uma condição básica, já que você tem uma ferramenta que permite que você entenda ainda melhor o seu público. Então, fica ainda mais fácil chegar até ele.

Financeiro

A análise preditiva do Big Data permite que sua empresa esteja sempre precavida contra a possibilidade de uma futura crise financeira. Também é possível preparar investimentos compatíveis com a situação atual e futura do mercado em que se encontra. Sem contar que até a análise do perfil dos funcionários é possível identificar antes da contratação. Precavendo, assim, situações de fraude e prejuízos.

6. RPA e BIG DATA: qual a conexão entre ambos?

As empresas que planejam ter um Big Data rodando em seu negócio, certamente pensa ser extremamente necessário a presença de uma equipe de TI preparada para desconstruir os códigos e montar as informações coletadas através dos dados.

No entanto, algumas empresas já estão adiante nesse processo. Contam com a ajuda de robôs de automatização de processos (RPA). Eles são capazes de automatizar processos. Em outras palavras, de executar por meio da inteligência artificial, atividades que antes seriam feitas apenas pelos humanos.

Isso significa que, em alguns lugares, há robôs capacitados e responsáveis por receber os dados, classificar a relevância e elaborar relatórios com as valiosas informações que foram extraídas.

Além da análise, os robôs de software podem também executar atividades através das informações que são deixadas pelos seus clientes no momento da solicitação. Sendo possível, então, processar pedidos, realizar cadastros onde se é possível usar as funções de copiar e colar, entre outros.

Ele terá a função que alguns funcionários hoje executam na sua empresa. Sendo possível, então, economizar com pessoas e tornar os processos muito mais dinâmicos,

Em resumo, não adianta ter um Big Data e não fazer a análise devida. Se tornarão inúteis os dados que foram coletados. Logo, com o auxílio de um RPA, estamos falando da possibilidade de sua empresa administrar um imenso banco de dados, analisar e executar a partir dele em tempo integral.

7. Quais os benefícios de trabalhar com RPA e Big Data?

Bem, já citamos aqui alguns motivos para você ter um Big Data na sua empresa. Já conhecemos esses benefícios. Mas, quer saber por que você deveria trabalhar com os dois juntos?

RPA é uma das mais modernas soluções de TI, que consiste na automatização de processos repetitivos, de grande demanda e operacionais. A utilização dele como ferramenta para otimizar é uma tendência que proporciona objetividade e mais produtividade por menos custo.

Sendo assim, temos de um lado um banco enorme de dados. Sugiro chamarmos aqui de reserva de ouro. E, do outro lado, uma inteligência artificial capaz de levar até você tudo que, de fato, importa nesse mundo de possibilidades. O que podemos chamar de garimpeiro.

Ou seja, com os dois, temos uma mina de ouro e um garimpeiro por excelência, que vão significar melhores decisões, redução de custos e progresso para a sua empresa

Veja alguns benefícios que podemos citar com a utilização de ambos nessa empreitada:

Objetividade:

Pense chegar até você apenas o suprassumo das informações. Aqueles que você, de fato, precisava para entender o seu contexto geral. Isso que o RPA vai fazer com os seus dados. A partir da parametrização ideal, ele dará importância e compilar apenas aqueles que mais importam.

Produtividade

O uso de um RPA na lapidação de todo esse material da rede será em período integral. Logo, podemos dizer que a produção será mais ágil. Então, com um robô preparado para isso, nós teremos a melhor produtividade possível, com menos custo.

Eficiência

A partir da parametrização adequada, teremos um robô que fará exatamente conforme o programado, sem cansaços ou falhas esporádicas. A menos que haja uma pane no sistema, o seu robô vai continuar operando de forma ágil, econômica e eficaz!

De forma mais clara, podemos dizer que a implantação dos dois representará a transformação digital para a sua empresa. Essa é a maior tendência de mercado. Dimensionar mão de obra para atividades complexas e estratégicas, enquanto a automatização realiza os trabalhos de grande escala e, como falamos, repetitivos e operacionais.

Usar um Big Data já representa um grande passo a frente das demais empresas que ainda não acordaram para o digita. Usar o RPA é ainda mais transformacional, quando falamos em seus benefícios.

8. Conclusão

Podemos chegar à conclusão de que, a partir da coleta de todos as informações possíveis divulgados na internet, é possível termos uma fonte de informações valiosas sobre nossos clientes, funcionários e empregados.

E entendemos que esse sistema — Big Data — é capaz de auxiliar fortemente na tomada de decisões na empresa. Isso porque ele consegue prevenir, prever, propor soluções e analisar resultados, a partir da análise de seu enorme banco de dados.

A versatilidade do banco de dados permite que seja possível administrar o futuro da empresa e tomar as decisões certas, se você usar cada uma das 4 análises do Big Data a favor do seu negócio.

Vimos, também, que a utilização de um RPA vai garantir que você tenha muitos ganhos na qualidade, produtividade e eficácia nas análises. Que, juntos, proporcionarão a transformação digital em seu empreendimento, tornando-o mais sustentável às possíveis e futuras crises.

E por falar em transformação digital, que tal reinventar ou iniciar uma estratégia digital para o seu negócio? Baixando este e-book, você vai entender melhor como uma estratégia digital vai revolucionar a sua empresa e aumentar o seu crescimento!

Não perca essa oportunidade de transformar seus resultados a partir da automatização de seus processos. Você, com certeza, terá ganhos capazes de transformar a história da sua empresa!

Pin It on Pinterest